Destinos e propósitos

Este tópico contém 21 respostas, possui 10 vozes e foi atualizado pela última vez por  Walmar Andrade 5 anos, 6 meses atrás.

  • Autor
    Posts
  • #963
     André Valongueiro 
    Mestre

    Excelente, João. Obrigado pela contribuição. Um texto repleto de significado e que seguramente já introduz os Pilotos ao estudo dos Destinos que faremos em nosso Painel de Controle da Ação.

    Um abraço!

    #964
     Marcio CS 
    Participante

    Bem legal, Joao, obrigado pelo texto!

    #967
     Analu Nascimento 
    Participante

    Muito bom João, obrigada por compartilhar

    #968
     João Dionyso Aché 
    Participante

    Valeu, André, Marcio, e Analu… “tamo junto”!

    Po… se vocês já tiverem acabado a parte programada do curso, seria legal de compartilharmos aqui 1 destino que se enquadre naqueles dois pontos que eu citei no texto (ou em um deles): ajudar os outros e refletir a forma como queremos ser lembrados.

    Vou começar: No meu caso eu ficaria inimaginavelmente feliz se as pessoas se lembrarem de mim por ter conseguido provocar transformações estruturais na vida das pessoas que mais foram sabotadas pela falta de acesso a educação gratuita e de qualidade. Dessa forma, esse é um dos meus destinos, ou propósitos =] É claro que de tabela isso envolve ajudar os outros né?

    Eu aprendi com o Seiiti Arata esse exercício para encontrar propósitos e consiste no seguinte: Imagine-se no seu funeral, com todas as pessoas conhecidas por perto e visualize-as comentando sobre a pessoa que você foi. Viaje mesmo nessa visualização, o único parâmetro é o quão pleno você se sentiria ao ouvir aqueles comentários. Esse exercício é do livro 7 hábitos das pessoas altamente eficazes.

    #1044
     Diego Bastos de Almeida 
    Participante

    Obrigado pela contribuição, João!

    Achei interessante essa forma de se perguntar “como quero ser lembrado?”. Em relação a sua intenção de ajudar pessoas com falta de acesso a educação gratuita e de qualidade, eu posso te dizer que esse é um dos meus maiores sonhos! Eu tenho o sonho de mudar a educação no Brasil e já tive várias ideias a respeito, como por exemplo, grandes colégios como nas Universidades Federais e com professores gabaritados para passar o conteúdo, além de adicionar disciplinas eletivas, para incentivar os alunos. Quem sabe não podemos conversar sobre isso e ver o que podemos fazer em relação a isso?

    Valeu, um abraço!

    #1070
     João Dionyso Aché 
    Participante

    Salve, Diego!
    Adoro essa pergunta! É muito poderosa em outros contextos também: pense no tipo de saudade boa que você quer deixar quando for embora de algum lugar (no seu trabalho, por exemplo). Assim descobrimos quais são de fato as coisas que devemos cultivar e que nos trarão plenitude.

    Sobre o papo da educação, eu penso que ela deveria ser voltada para a realização de sonhos e projetos de vida e é por isso que eu resolvi participar da AdP: aprender um método prático para a realização de sonhos (Aí André, saiu até um Slogan! hahahaha zoa). Eu ainda não tenho uma estratégia sólida para levar esses conhecimentos a gente que não tem acesso, mas acho que o primeiro passo é aplicar em mim mesmo né? =]

    Onde você mora, brow?

    #1072
     Felipe Landim Dal Bosco 
    Participante

    Hmmmmm, muito legal!
    Legal encontrar mais um conhecedor (e provavelmente apreciador) do materail do Seiiti Arata também ahahah.

    #1093
     Patricia Daibes 
    Participante

    Obrigada por compartilhar as anotações, João. 😉 Ler sobre isto me faz refletir quais são de fato os “destinos” que quero atingir e como gostaria de ser lembrada.

    O Seiiti e o Leo Babauta são sempre boas referências. Dois caras que admiro o trabalho e o ideal de vida que eles têm.

    #1100
     João Dionyso Aché 
    Participante

    Valeu, felipe! Eu acompanho o Seiiti sempre que posso. Ele tem ensinamentos valiosos. Fiz dois cursos com ele: Produtividade Ninja e Como Aprender Mais Rápido. Recomendo os dois, mas fica um aviso de que não são cursos leves: fazer todas as atividades interativas não garante que você vai aplicar tudo no dia-a-dia. É fundamental dominar a criação de hábitos e encarar que não é um curso pra um mês (talvez seja pra aprender, mas não pra aplicar).

    Fico felizão disso ter servido p vc, Patrícia! “Tamo junto”! Fiquei curioso agora, moça… Se você escrever algum rascunho, posta aqui?

    Beijo pra quem é de beijo, abraço pra quem é de abraço!

    #1115
     Diego Bastos de Almeida 
    Participante

    Saudações, João! Sou de Recife, brow! E você?

    Essas frases são realmente muito poderosas! Achei fantástica também aquela frase do exercício que nos foi passado em relação ao sofrimento, “Sobre o que você não estava agindo que estava fazendo algo agir sobre você?” nessa pergunta pude perceber o quanto é necessário ter uma resposta inteligente.
    Outra coisa que concordo contigo, é de que o primeiro passo para aquela nossa ideia é aplicar em si mesmo os conhecimentos, assim fica muuuuito mais fácil ajudar o próximo!

    #1117
     Rodrigo de Oliveira Santos 
    Participante

    Olá Diego e João,

    Sou de Recife também e gosto muito da ideia de ajudar pessoas através da educação. Tenho muito interesse pelas técnicas de aprendizado eficiente, costumava estudar bastante isso lendo através dos livros “4-Hour Chef” do Tim Ferris, “O Código do Talento” do Daniel Coyle e alguns outros livros sobre leitura acelerada e técnicas de memorização. Há alguns anos atrás tive a ideia de criar um blog em conjunto com o Paulo Ribeiro, criador do estrategistas.com e autor dos livros “Aprendizado Acelerado” e “Os Sete Pilares do Aprendizado” pra ajudar estudantes de engenharia a aprender as matérias de uma maneira mais eficiente. Mas por falta de organização e disciplina da minha parte, a idéia acabou não saindo do papel. :/

    Particularmente acho muito ultrapassado o método de ensino atualmente empregado na maioria dos colégios e faculdades, onde um professor tentar passar o conhecimento aos alunos de uma maneira um pouco forçada. Por experiência própria (cerca de 90% das minhas aulas tem professores que parecem não dar a mínima para o aprendizado dos alunos, e dos 10% restantes 8% se esforçam mas não conseguem dar aulas de uma maneira que os alunos realmente aprendam), acho que falta uma transmissão de conhecimento que seja mais interessante para os alunos, incluindo maior participação dos alunos em atividades práticas e tal.

    Acho que seria bem legal a gente trocar umas figurinhas e vê o que rola né?

    Um abraço a todos e vamos alcançar nossos sonhos!

    #1125
     Fabio Dametto Pedrosa 
    Participante

    Obrigado pelo texto!!!

    Rodrigo de Oliveira Santos Esta questão que vc citou sobre aprendizado e colégios, apesar de não generalizar o fato, concordo plenamente contigo com o fato de que o ensino brasileiro está muuuuito fora da realidade. Tenho 33 anos e estou no 3º Ano de minha faculdade… comecei tarde e estudo com colegas que tem ainda 22 anos e me preocupo com muitos comportamentos vistos em sala de aula principalmente em ver como a visão de mercado dentro de uma sala de aula é totalmente distorcida do mercado de trabalho, o foco são sempre as notas, o aluno que sofre de falta de memória ou o nervosismo é punido com o descaso da universidade na preparação dos exames e fora o conteúdo jogado “guela” abaixo.Curso superior é fundamental, mas vemos que a preocupação com a prática é fundamental e esta é deixada de lado na grande maioria dos cursos.!!

    #1126
     Rodrigo de Oliveira Santos 
    Participante

    Pois é Fabio, concordo plenamente com você, os alunos e muitas vezes os próprios professores não tem nenhuma ou tem muita pouca preocupação com o aprendizado prático. Na minha faculdade boa parte dos professores sequer teve alguma experiência industrial, muitos deles saíram direto da graduação para o mestrado, e daí para o doutorado, indo para o concurso público e se tornando professores federais. Isso me faz me perguntar quão preparados para a indústria podem ser alunos que foram formados por alguem que nunca trabalhou na indústria, ou no máximo prestou serviços de consultoria.

    O mais curioso é que as pessoas realmente acham que boas notas são sinal de empregabilidade. Cansei de ouvir de muitos parentes meus que mais valia a pena me formar logo do que atrasar um pouco a graduação para adquirir experiência em estágios. Se os seus colegas de 22 anos (eu tenho 23 hahaha) se interessarem por estudar um pouco sobre auto-promoção profissional e empregabilidade, recomendo ler o Recession Proof Graduate do Charlie Hoehn, que pode ser baixado gratuitamente http://recessionproofgraduate.com/

    Um abraço!

    #1133
     Diego Bastos de Almeida 
    Participante

    Opa, Rodrigo, tudo joia? Primeiramente quero lhe dizer que adorei seu comentário, é bem verdade que os métodos estão ultrapassados. Quanto aos livros, eu vou ser sincero que conheço bem pouco do assunto, a única coisa que li a respeito foi por uma revista e pelo site do Alberto Dell’Isola. Como você é de Recife, podemos começar a amadurecer a ideia de formar um grupo aqui em Recife, inclusive se sair alguma coisa interessante podemos compartilhar com o pessoal de outros estados. A gente vai se falando, beleza?

    Abraço!

    #1136
     Patricia Daibes 
    Participante

    Jõao, pode deixar! Ainda não coloquei em palavras o que eu refleti, mas assim que fizer compartilho aqui com vocês também. Pra mim o mais legal desse curso é a interação. Tenho aprendido bastante lendo as experiências de vocês. 😀

Visualizando 15 posts - 1 até 15 (de 21 do total)

Você deve fazer login para responder a este tópico.

Academia de Pilotos Mude.nu

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?