O Sofrimento do Passageiro

Este tópico contém 41 respostas, possui 26 vozes e foi atualizado pela última vez por  sonia maria nogueira 3 anos, 7 meses atrás.

  • Autor
    Posts
  • #1152
     Gustavo Augusto 
    Participante

    Opa Fabio, fico feliz por ter ajudado, aproveita a determinação pra estabelecer e se convencer emocionalmente dos bons hábitos assim quando ela for embora você não dependerá dela! Parabéns aeh por estar conseguindo!

    #1162
     Rafael Cardoso 
    Participante

    Eu tenho sofrimento sempre que deixo passageiros “minarem” meus objetivos. Agora mesmo inventei de comentar com minhas colegas que estava estudando para ingressar em outro órgão público, já que o salário bruto de R$ 4.000 aqui na universidade não é mais suficiente pra mim. Então, elas começaram a me questionar o que que faltava pra mim já que elas ganham o mesmo que eu e sustentam família. Não entendem como um cara solteiro não consegue ser feliz ganhando esse salário.

    Comentei que eu quero viajar, quero poder fazer o que tenho vontade sem ter que me preocupar com dinheiro. Mas confesso que após a conversa com elas eu comecei a pensar: “será que eu preciso de mais dinheiro mesmo? Veja que a minha mentalidade de passageiro ainda acaba tentando me levar para a procrastinação e fracasso. Sou facilmente influenciável pelos passageiros, por isso preciso manter meus projetos em segredo e me manter o mais próximo da cabine do piloto.

    #1170
     Gustavo Augusto 
    Participante

    Rafael Boa Noite! =]

    Escuta, infelizmente por mais que as pessoas gostem da gente e as vezes só queiram nos ajudar… Por vezes basta um simples comentário para que nosso mundo desabe. Eu aprendi desde cedo que o melhor que posso fazer e não contar as pessoas o que planejo, não por mal ou por achar que elas me sabotariam, mas é que as pessoas quando nos veem mudando se surpreendem e tentam nos colocar no nosso antigo lugar com comentário como: nossa esse nem parece você? Opa porque está agindo assim? Você não é assim!

    Isso é absurdamente natural e deve ser aceitado, nós pilotos devemos ter uma mentalidade mais abrangente e buscar entende não só nossos anseios como também os dos passageiros e da forma mais simples e calma possível administrar essas duas esferas.

    No meu caso eu sempre busquei a independência. Recentemente saí da casa dos meus pais quando percebi que tínhamos visões extremamente diferentes do mundo. E foi então que comecei a omitir meus objetivos e planos, e fui suportando todo aquele sofrimento e o processo que fazia meus pais me por no meu devido lugar. (Ou o que eles acham que seria). Eu trabalhei muito e consegui alguns dos meus objetivos como determinei, a minha relação com eles melhorou bastante e principalmente eu ganhei o respeito deles!

    Por este motivo Rafael, não se aflija com os comentários de seus amigos. Você mais do que ninguém tem a capacidade de dizer o que falta e o que tem na sua vida e o quanto você tem o bastante ou não. Você só terá dinheiro o bastante quando você disser que tem o bastante e pode fazer o que quiser com o que tem. Ora se a vida é sua quem melhor para saber do seus desejos e o que pode satisfazê-los ou não?

    Eu sei é bem difícil ser auto confidente, eu mesmo falando tudo isso de boca cheia quase não consigo, mas há momentos que a situação exige! Olhe esta palestra do Daniel Godri: http://bit.ly/1qnJhUR

    Vai ilustrar muito bem o que quero lhe dizer!

    Meu querido um forte abraço, tenha confiança e esforce-se! Pois se você acreditar que é louco o bastante para conseguir algo talvez você seja o primeiro louco a consegui-lo!

    Até mais!

    #1173
     Rafael Cardoso 
    Participante

    Olá, Gustavo!!

    Muito obrigado pelas palavras de apoio. Assisti ao vídeo, é é bem isso mesmo que acontece na prática e aconteceu comigo. Quando ingressei no serviço público, entrei muito motivado, sugerindo mudanças, tentando modificar o que era inaceitável, mas aos poucos fui vendo que meus colegas não tinham a mesma vontade e começaram a me boicotar. Estou há dez anos nessa empresa e muito desmotivado. Preciso sair de lá e ser aprovado em outro concurso é a minha meta a curto prazo. Mas decidi que não vou comentar isso com ninguém mais, assim eu não corro perigo de receber conselho de um “bola murcha”.

    Valeu!!! Até mais

    #1178
     Ederson Fernandes 
    Participante

    Acho que a ideia é não deixar influenciar. Vejam a charge abaixo:

    Até!

    #1181
     Gustavo Augusto 
    Participante

    A respeito de sugerir ideias e tentar mudar as coisas:
    http://bit.ly/1s203be

    #1210
     Sillas Soares Xavier 
    Participante

    Após ler os comentários de vocês e depois de pequenas mudanças, nas últimas duas semanas minha vida social sofreu uma reviravolta. Estou precisando escolher entre os eventos sociais disponíveis. Em uma viagem em Natal/RN a trabalho, aproveitei pra ir ao famoso forró pé de serra com uma amiga que fiz lá mesmo. Ela me ensinou o básico e até convidei algumas desconhecidas para dançar. Essa semana fiz uma viagem pra Ouro Preto/MG com alguns novos amigos suecos e holandeses. Na próxima semana viajarei pra São Paulo a trabalho por dois dias e na quarta-feira viajo pra Diamantina/MG e me hospedarei na casa de uma nova amiga que conheci essa semana também. Conheci mais pessoas este mês do que no resto do ano! O desafio está sendo encaixar a rotina de treino e alimentação com os compromissos sociais, mas precisei abrir mão das corridas e mantive apenas a musculação (como eu inicialmente havia proposto para mim mesmo, treinar no mínimo três vezes por semana e no máximo seis vezes). Até hoje não “descumpri” esse compromisso de três treinos semanais. O ritmo do aumento de peso diminuiu, provavelmente devido à privação de sono e diminuição da ingesta calórica, o que não chega a ser um grande problema, pois ainda estou evoluindo consistentemente. A maior mudança foi na minha visão em relação a tudo isso, se não tenho nenhum evento social e sinto vontade de sair de casa, eu simplesmente crio uma oportunidade. Faço convites sem criar muitas expectativas e as coisas simplesmente acontecem! Ontem, um sábado à noite, simplesmente optei por ir dormir cedo já que estava cansado de tantas festas e viagens ao longo da semana.
    .
    @ Felipe Landim Dal Bosco
    Felipe, o convívio social ocorre à noite normalmente, podendo terminar às 23h ou mesmo 4h da manhã. Eu não uso despertador, mas sempre acordo naturalmente por volta de 6h30 nos dias que vou dormir cedo. Se eu durmo mais tarde, acabo acordando por volta de 9h ou 10h, nunca passa disso. Já estou adotando sua dica, sendo mais flexível comigo mesmo. Eventualmente abrindo uma exceção e indo dormir um pouco mais tarde. Nessas ocasiões abro mão de treinar no dia seguinte, mantendo sempre o compromisso de três treinos semanais.
    Sobre a bebida, eu simplesmente falo que estou dirigindo. Se me perguntam se parei de beber, eu falo que não, que de vez em quando bebo, mas naquele dia eu não estou com vontade.
    .
    @ Rafaela Piacentini
    Muito obrigado pelos conselhos! Quando estou em casa, eu também tenho uma dieta restrita. Isso já atrapalhou muito meu convívio social, mas resolvi adotar uma nova postura. Em restaurantes, é possível não sair da dieta, basta fazer boas escolhas. Eu não como trigo, por exemplo. Porém, se o pessoal resolve ir à pizzaria, não deixo de ir. No fim das contas, durante mais de 90% do tempo eu sigo a dieta. E de vez em quando uso a tática de comer antes de sair de casa, ou esperar chegar em casa para comer.
    .
    @ ANA KARINA MILHOMEM
    Parabéns Ana! Colar o papel na parede do seu quarto foi fantástico. Porque você AGIU. Em vez de simplesmente ler, você transformou o conhecimento em ação e, além disso, criou uma estrutura para a mudança de um hábito. Como diz o grande mestre Nuno Cobra:
    “Saber de cabeça é não saber nada. O sábio não é aquele que sabe. O sábio é aquele que faz.”
    .
    @ Rafael Cardoso
    Rafael, pessoas para minar seu caminho rumo ao sucesso não faltarão. Provavelmente essas pessoas também têm vontade de ganhar mais, mas não acreditam em si mesmas, etc. Depois que passei a agir sem tornar público meus atos, está sendo bem melhor, sabe por quê? Porque eu não dou chances para críticas antes de colher os resultados. E quando elas veem os resultados, eu simplesmente sou ao mesmo tempo educado e evasivo nas respostas, respondo de forma genérica fazendo parecer que o caminho foi simples, que não foi nada demais. Agora, enquanto elas desperdiçam o tempo delas em com a novela, por exemplo, eu estou indo dormir pra acordar cedo e trabalhar duro para conquistar meus objetivos. Veja, você tem dívidas, então precisa aprender a controlar suas finanças e, quem sabe, aumentar sua renda.
    .
    Desculpem-me pelo longo post!

    #1213
     Rafaela Piacentini 
    Participante

    Sillas, que bom!!! Obrigada pelo feedback, fiquei super feliz!!! E Parabéns pelas mudanças!!! 😀

    #1214
     Rafael Cardoso 
    Participante

    Sillas,

    Tens razão. Uma vez um amigo me disse: “quanto mais você fala de teu sonho para outras pessoas, mais distante ele fica”. Vou começar a praticar isso e conversar apenas com vocês, que estão no mesmo objetivo e não têm opiniões medíocres. com relação às finanças, é verdade, preciso muito a aprender a lidar com o dinheiro.

    Abração!!!!

    #1217
     Celise Correia 
    Participante

    “Agora que estou sofrendo como Passageiro, estou sendo vítima do quê? Sobre o que eu não estou agindo que está fazendo algo agir sobre mim?”
    Nossa, me identifiquei com alguns posts aqui.
    Bom, tenho sofrido um pouco com relacionamentos. Desde que terminei meu noivado, me afastei muito das pessoas. Agora, a maioria dos amigos estão casados e com filhos. Estou sendo vítima do que? De mim mesma, preciso sair mais e conhecer pessoas novas.
    Muitas vezes tenho convites para aniversario em barzinhos, festas e não vou.
    Entrei agora para um grupo de corrida, amo correr e também vou participar de trilhas. Vou tentar ir sozinha, sair da minha zona de conforto, deixar de ser passageira e criar oportunidades para conhecer pessoas e fazer novas amizades.
    Espero não desistir e ir em frente. Vejo que tenho mudado muito minha forma de pensar desde que comecei a participar do mude.nu e da academia de pilotos.
    🙂

    #1220
     Fabio Dametto Pedrosa 
    Participante

    Galera, o que me dizem do FOCO ? O que vocês fazem quando a sua cabeça tá cheia de coisa para resolver e você não consegue fazer nada…. tipo a hora vai passando e vai te dando aquele desespero porque já é quase final de expediente e vc não consegue começar nada porque não consegue concentrar e vai te dando uma crise de ansiedade terrível… cara do céu… tá feio hoje…

    #1454
     Bruno Fiuza Alencar Araripe 
    Participante

    Estava sendo vítima da minha falta de determinação. Sou concurseiro e não tenho um horário imposto por terceiros, eu mesmo faço o meu horário, o que requer disciplina, mas não tenho sido muito disciplinado, apesar de me dedicar aos estudos. Acabo não utilizando meu tempo da melhor forma possível, e assim deixo outras áreas da minha vida de lado, tais como atividade física e lazer.

    Na verdade, tudo decorre de hábitos diários que não estou conseguindo mudar efetivamente. Sinto-me encaixado naquela frase que o Valongueiro diz, “não conseguiste vencer nas grandes coisas porque não venceste nas pequenas.” Já quase passei em alguns concursos, sinto que o que falta para conseguir finalmente o resultado positivo é vencer nas pequenas coisas, logo as grandes serão meras consequências.

    #1553
     Alan Santos 
    Participante

    Olá pessoal! Estou voltando… novamente. É, comecei a Academia em janeiro deste ano (procrastinei); recomecei em junho (procrastinei de novo). Bem, aqui estou, aprendendo a aprender a pilotar.
    Sobra o sofrimento do Piloto, digo de mim que hoje, sábado à noite, estou em casa e um pouco frustrado por não ter feito o que deveria ter feito: mudar minha alimentação; parar de beber (apesar de que bebo muito pouco); passar num concurso (não pra ser feliz); viajar etc.
    Ultimamente, saí de um relacionamento que estava começando, mas que foi desgastante (pensei: se já começa assim, não é bom sinal). A minha rotina no trabalho tem sido um saco (não sinto alegria ao ir pro meu local de trabalho, onde fico, normalmente, de seis a sete por dia), quando chego em casa só quero descansar.
    Li os posts de vocês, e como é bom (entre aspas) saber que outras pessoas comungam de sentimentos similares. André Lira, um amigo me disse uma vez (hoje ele é padre) que sou um existencialista, as questões profundas me incomodam muito mais do que comprar uma roupa, por exemplo. Já até me acostumei comigo sobre isso. Se você tiver um tempinho, leia o livro A Náusea, do Jean-Paul Sartre (que trata sobre isso: o absurdo de existir); mas eu gosto e me identifico muito com Cem Anos de Solidão, do Gabriel Garcia Marquez. A literatura me ajuda muito. E pra falar da vida fora do papel, admito que hoje não tenho circulo de amizades. O grupo de amigos que eu tinha, hoje não mais o mesmo, são todos casados e com filhos, e eu sou solteiro (mas é não por isso que a amizade não é mais a mesma). Confesso que sinto falta de uma boa conversa, mas não de pessoas em quantidade. A maioria é muito repetitiva, e eu sou meio contra a corrente; então, prefiro ficar na minha do que repetindo atitudes e comportamentos. O Rafael Cardoso disse que não assiste jogo da seleção; eu também não. Nessa Copa do Mundo, na hora dos jogos, todos no trabalho ficavam eufóricos, querendo ir embora mais cedo. EU ia pra casa, e esperava o jogo acaba, e até torcia contra – por outros motivos, porque gosto de futebol, torço pro cruzeiro, e quase do fim de semana vou pra casa do minha irmão assistir jogos do Brasileirão com meu cunhado. Mas não torce pra seleção em Copa do Mundo é ser um estranho; então, eu tbm sou estranho.
    Mas não posso dizer que as coisas têm sido negativas, ou melhor, que eu só procrastinei e pronto. Gostaria de dizer a você as pequenas vitórias que obtive. No mês de agosto fui premiado em 2º lugar em um concurso nacional de literatura. Sim, me lembro de um comentário que fiz aqui (não me recordo em qual tópico), aí alguém respondeu me dizendo que eu tinha o dom para escrever. Aquilo ficou me incomodando, pois o tópico não era sobre isso. Entendi como um sinal autêntico, pois aqui na Academia não nos conhecemos afetivamente, então não era o comentário de alguém familiar, que poderia estar influenciado pela proximidade; ou o comentário de uma amigo que só quisesse agradar. Eu vinha desejando participar desses concursos literários há alguns anos, mas sempre postergando. Depois do comentário, resolvi arriscar pra valer (pois, de outras duas anteriores, fiz por fazer). E não é que deu certo. Fiz com convicção, sabendo que eu estaria entre os premiados. Depois quero buscar o comentário incentivador e agradecer a quem o fez.
    Por outro lado, voltei a rotina. Outros concursos literários estão passando, e eu não escrevi mais.
    Com relação ao meu trabalho (sou diagramador, trabalho em um jornal), parei para pensar e projetei o seguinte: já que n]ao está bom aqui, vou fazer um curso nessa área, me qualificar melhor, e aí sim, arriscar outro emprego. E há um mês comecei a fazer um curso de design gráfico, apesar de ser formado em Filosofia. Bem, acho que criatividade e pensamento estão interligados, e creio estar num bom caminho.
    Por fim, sem falar nas boas recomendações de leitura aqui da Academia, no tocante a alimentação (e isso inclui a bebida), tenho planejado parar de beber (1º, Não tenho me sentido bem depois que bebo; 2º, Quero ser uma forma de incentivo para pessoas que conheço e que não levam uma vida saudável por causa da bebida; e 3º, Mostrar que é possível mudar a alimentação sem regras exigentes, e com isso melhorar a saúde. Tenho lido uma livro interessante nos últimos dias, chama-se A Dieta da Evolução, de Arthur de Vany, o qual recomendo. Creio que o André Valongueiro e o Walmart Andrade já devem conhecer essa obra.
    Bom, por último, espero retomar a Academia com novo fôlego.
    Obrigado pelos fóruns e por vossos cometários sempre valiosos.

    #1661
     Diego Athos Gomes de Souza 
    Participante

    Agora que estou sofrendo como Passageiro, estou sendo vítima do quê?
    Resposta: Sonhos adiados por falta de foco, disciplina e perseverança em perceber que posso ter mais benefícios que malefícios. É dificil mudar, mas uma coisa é certa: somos prisioneiros das nossas escolhas, seja elas boas ou ruins.

    O sofrimento é não agir e sempre querer ficar reagindo. Ainda bem que tenho mudado minha mentalidade e agradecido mais e reclamando menos. Não basta só querer, tem que agir. Acho que esse é o caminho e enfrentar os obstáculos como os colegas disseram.

    #1676
     Maria Eugênia Cruz 
    Participante

    Não estou agindo sobre minha alimentação e estou sendo vítima disso. De mim mesma. Reclamo que não emagreço, mas não tomo medidas para mudar meus hábitos alimentares e sedentarismo. Sempre caio nas minhas próprias desculpas de que não tenho dinheiro para comprar comidas saudáveis e, mesmo se tivesse, não tenho tempo de preparar. E então me entrego à gula, ansiedade, tédio. “Tá no inferno abraça o capeta!”. Como tudo o que quero e até o que nem quero.

    Daí vem a sensação de fracasso. De tristeza e de (mais) tempo perdido.

Visualizando 15 posts - 16 até 30 (de 41 do total)

Você deve fazer login para responder a este tópico.

Academia de Pilotos Mude.nu

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?