Andissa Begiato Tatini

Respostas no Fórum

Visualizando 15 posts - 1 até 15 (de 16 do total)
  • Autor
    Posts
  • em resposta a: Diário de bordo – Nara Peixoto #1854
     Andissa Begiato Tatini 
    Participante

    Olá Nara! Vc ao certo não é a única que desanimou, mas não pelo curso, mas pela nossa postura de passageiros. Eu consegui retomar bem rápido. Não estou com a empolgação do começo, mas isso é ótimo! Em uma das aulas fala sobre isso, não devemos fazer por empolgação pq empolgação passa! Estou fazendo com consciência, e, não sei onde do curso vc está, mas mais pra frente tem uma dica bem legal que diz: “COMECE PEQUENO”. Portanto, não importa o quão lenta vc caminhe, o que importa é que caminhe!
    Avante e vc vai conseguir!

    em resposta a: Diário de Bordo – Andissa Begiato #1852
     Andissa Begiato Tatini 
    Participante

    A palavra de ordem da vez foi uma frase dita pelo Valongueiro: “Não se apegue ao seu plano de voo desenvolvido com tanta emoção e afeto”.
    E assim, com dúvidas recorrentes na aplicação do mesmo, minha solução foi parar a progressão nos estudos, reler o módulo novamente e começar o PL quase do zero.
    Foi interessante… realmente a gente se apega àquele rascunho que foi feito com tanto afinco e “tinha” que estar perfeito.
    Fingi que ele não existia. Abri um novo arquivo em branco e reformulei sem modelos a partir dos meus conhecimentos adquiridos.
    Foi ótimo! Ele realmente ficou muito melhor! Consegui colocá-lo em todos os sistemas funcionais. Ele funcionou! E o feddback que tenho tido é bem positivo! Portanto, valeu muito a pena pausar os estudos e estudar com afinco tudo de novo! Agora é hora da verdadeira ação! Colocando em prática tudo o que foi formulado, e retornando tb aos estudos!
    Estou 1 módulo atrasada, mas tenho certeza que assimilei o conteúdo, e é o que importa!

    em resposta a: Diário de Bordo – Andissa Begiato #1834
     Andissa Begiato Tatini 
    Participante

    Prestando atenção em uma armadilha poderosa: a auto-sabotagem!

    Foi interessante eu relatar aqui toda a minha dificuldade em relação a comida. Interessante pelo fato de que, quando eu esqueço de que isso é um problema na minha vida (e sim…. eu esqueço muitas vezes), até os colegas que comentam o meu DB me relembram dessa situação! (Obrigada colegas 😉 )
    Fiz o meu Plano de Voo e… em nada eu coloquei ênfase nessa questão. Muito pelo contrário, quando listei saúde nos princípios foi só pensando que “ah… isso eu deve ser importante pra mim”, mas não com consciência, mas mais por obrigação e lógica.
    Notei que nos meus destinos eu nada falo sobre essa questão. Nas metas smart coloquei, mas tb pq comecei a me atentar ao fato de não estar colocando um olhar mais sério para esta área. E agora que estou nos hábitos percebi a minha grande armadilha subconsciente em não abordar 2 assuntos que me permeiam gravemente: alimentação e independência financeira.
    Por que os meus maiores desafios e causadores de sofrimento eu trato com tanto descaso? Por que eu não consigo olhar pra eles com a devida atenção? Acho que eles me causam sofrimento só de olhar. Mas o que nesse olhar, de até superação, me causa tanto sofrimento ao ponto de eu não querer entrar em contato nem pra mudar? Qual é o ganho que eu estou tendo em continuar nessa situação??? Sim… pq há algum ganho! Já está claro pra mim que se eu tivesse mais sofrimento do que felicidade, não estaria com esses hábitos dessa forma. Então há algum benefício muito forte que eu não enxergo em meio a esses problemas. Mas qual???
    Acho que antes de eu começar a mudar hábitos, preciso encontrar respostas para essas perguntas…!

    em resposta a: Diário de Bordo – Andissa Begiato #1833
     Andissa Begiato Tatini 
    Participante

    É Fabio, por isso é importante buscarmos as biografias de vida das pessoas bem sucedidas, como o André falou inclusive em uma aula ao vivo. Nós temos a ideia de que como eles estão estáveis, no topo, etc, sempre estiveram lá, ou que a caminhada não tenha sido nada árdua, mas o conhecimento nos traz a certeza de que podemos tudo, desde que façamos para sermos tudo! É muito interessante esse seu exemplo do Ayrton Senna, pois por ele vir de uma família com uma classe social um pouco melhor, todos pensam que foi fácil. Mas parando pra pensar, a competência dele no assunto nada tinha a ver com a classe social. Isso realmente ele deve ter ralado mesmo pra conseguir. Determinação pura! Grande exemplo! Outro exemplo que me inspira muito é o do Silvio Santos, alguém que começou vendendo canetas como camelô e construiu um império!
    E pq não sermos isso no futuro? Capacidade todos temos, falta coragem, falta determinação, falta decidir, falta mudar!
    Eu me sinto com uma grande oportunidade nas mãos desde que encontrei esse curso. Aqui está contido o passo a passo para sermos alguém. Só que a ação depende de nós! Até onde eu quero ser alguém? Ahhh… eu quero! Minha vida não pode passar toda somente nessas mesmices e pequenez do dia a dia sem graça e rotineiro, ou melhor, estupidamente rotineiro.
    Vc disse que ainda se sente um passageiro, mas quem aqui não se sente como tal??? Estamos no processo, e em uma parte do processo muito importante, o de ressignificar! Ressignificar nossos conceitos, ressignificar nossas atitudes, nossas decisões, nossos hábitos, nossos porquês, enfim… ressignificar a nossa vida! E não podemos deixar essa chance escapar pelos dedos! Os tropeços vão ocorrer, os erros irão surgir, as armadilhas estarão lá e nós iremos cair, mas o importante mesmo é não nos deixarmos abater, é não perdermos o propósito, é não desistir do ideal que vislumbramos e sabemos que é possível chegar! Então não deixe que a sua frustração seja a armadilha pra vc parar, ficar inerte, pegue ela como incentivo pra vencer! Olhe para ela e diga que nunca mais vc quer se sentir assim e que por esse motivo vc vai dar tudo de vc pra mudar! Ceder frente a frustração significa absorver o medo! Não absorva, observe! E deixe ela lá sim pra te lembrar sempre onde vc quer chegar!E vc pode! Não se esqueça disso, não diga e não pense o contrário. Todos podemos!

    em resposta a: Diário de Bordo – Andissa Begiato #1802
     Andissa Begiato Tatini 
    Participante

    MEDO!

    Essa é a palavra e o sentimento que mais surge quando começo elaborar meu plano de voo.
    Medo de colocar os projetos no papel e não cumprir… Medo de voar alto demais… Enfim, medo no geral!
    Isso mostra o quanto eu não confio em mim e o quanto eu ainda tenho um passageiro dentro de mim!

    Mas como a maioria dos meus medos vou seguir em frente independente dele estar ali ou não! O medo pode estar lá, mas eu só vou olhar pra ele, não vou absorvê-lo!

    em resposta a: Diário de Bordo – Andissa Begiato #1784
     Andissa Begiato Tatini 
    Participante

    Caindo nas armadilhas…!
    Em busca da perfeição caio nessa armadilha e congelo.
    Voltando à ativa em 3, 2, 1 JÁ!!!!!
    Importante entender e enxergar que cai nessa armadilha mais uma vez!

    em resposta a: Diário de Bordo – Andissa Begiato #1779
     Andissa Begiato Tatini 
    Participante

    Olá Patrícia!
    Quanto ao livro, não perca a oportunidade de ver o filme! Aí se gostar, tenta encarar o livro novamente que é muito mais rico!
    Agradeço pelas dicas! Vou trabalhar pouco a pouco pq preciso de uma transformação verdadeira. Tenho absoluta certeza que é a minha perspectiva que eu tenho que mudar, mas é um pouco difícil, pq como eu nunca tive nenhum problema de saúde, nenhum contratempo e sempre me estou no meu limite, isso traz uma contradição muito grande na minha mente, do tipo “eu quero mudar, sei que preciso, mas… pq preciso mesmo…?” e aí me faltam argumentos pra eu conseguir essa mudança mental! Porém eu tenho certeza de que no próximo painel eu vou encontrar as respostas ao qual eu procuro!
    Quanto as ajudas eu vou traçar o meu PV e vou com certeza, só preciso fazer da forma correta pra não me boicotar de novo!
    Obrigada pelo acompanhamento, e quando tiver um DB estarei lá te acompanhando e te dando força tb!
    Bjão e até mais!

    em resposta a: Diário de Bordo – Andissa Begiato #1769
     Andissa Begiato Tatini 
    Participante

    Pensei que não fosse conseguir terminar o painel mental de acordo com a minha meta, mas felizmente consegui!
    Com relação a comida, quando terminei a aula 16 do mental eu pensei “nossa… agora que ferrou de vez… ao invés de eu aprender a comer vou ter que tirar aquilo que eu já como???”. Fiquei bastante confusa, porém não deixei a ansiedade tomar conta e optei que não sofreria pelo fato que eu ainda nem se quer conhecia direito, esperaria até chegar o painel físico para compreender a ideia.
    Quando cheguei na aula 18 e vi a proposta do exercício, eu encarei essa “dieta” de uma forma diferente! Quando vi que eu poderia comer o que eu quisesse, o quanto quisesse, na hora em que eu quisesse, desde que estivesse dentro dos alimentos da lista, eu me tranquilizei e comecei a pensar que isso vai ser a solução dos meus problemas com comida!!!
    Ainda muitas dúvidas me permeiam, principalmente pelo fato de eu não comer carne. Fico me perguntando coisas do tipo “de onde eu vou tirar o ferro que tiro do feijão!” e por aí vai, mas mais uma vez eu optei por deixar a ansiedade de lado e me dedicar agora única e exclusivamente ao painel de ação! Afinal o painel físico é mês que vem e eu terei 20 aulas pra entender bem e ter todas as minhas dúvidas respondidas, para aí então decidir o que é melhor e o que eu vou fazer por mim!
    Por enquanto é isso!

    em resposta a: Diário de Bordo – Andissa Begiato #1767
     Andissa Begiato Tatini 
    Participante

    Bem… hoje foi uma vitória! Não sei como, mas eu almocei! Não com muita vontade, mas fechei o olho e fui! Tinha comida quase fresquinha, fiz um purê e boca pra dentro!
    Agora jantar… aí já é demais né rs nem meu marido janta! Eu não tenho o hábito de jantar desde os meus 9 anos quando foi instaurado o “leitinho com pão” na minha casa! Hoje só meus filhos jantam em casa. Os adultos, só lanchinho!

    em resposta a: Diário de Bordo – Andissa Begiato #1766
     Andissa Begiato Tatini 
    Participante

    Bem, esse foi o principal motivo que me fez entrar aqui! Uma mudança extremamente difícil para mim ao qual eu ainda não consigo vislumbrar o sucesso.
    Estou terminando a aula 12 do painel de controle mental e já estou super empolgada pra colocar em ação as mudanças em várias áreas da minha vida! Já estou pensando no que quero mudar, nas recompensas a serem estabelecidas (o que tb não é fácil pra mim, uma vez que vivo no modelo “nada mais do que a obrigação”, então recompensar obrigação não tem lógica), e as multas a serem estabelecidas!
    Tudo está muito lindo e entusiástico, até que eu penso no quesito “COMIDA”… não… comida não… meu mundo vem abaixo… o entusiasmo se dissemina e eu consigo me enxergar na minha pior forma de passageiro nesse momento, consigo sentir um sofrimento demasiadamente gigante só na breve ligação mental com o fato, só de imaginar panelas no fogão, aquela comida horrorosa, quente na boca… sinto o peso no meu estômago! É uma sensação tão horrível que não sei descrever! A repulsa é iminente!
    A jornada não será nada fácil. Terei que ir com muita calma e paciência por aqui.
    Só pra constar, eu não como comida de fato desde sábado a noite quando fui em um karaokê e lá tinha uma massa no jantar!
    No domingo, dia de pós, comi muitas guloseimas durante o dia, almocei subway e jantei um lanche em casa.
    Segunda almocei gemada e pão com requeijão, e jantei um queijo quente.
    Ontem almocei pão com ovo e jantei um dog.
    Amanhã posto como foi minha alimentação de hoje.

    em resposta a: Diário de Bordo – Andissa Begiato #1765
     Andissa Begiato Tatini 
    Participante

    Voltando lá no exercício da aula 2 do painel de controle mental:
    MUDANÇA: Alimentação

    Problema: não gosto de comer! Como sim por obrigação e isso torna esse momento muito difícil. Não tenho ideias para variar o meu cardápio.
    Comer a mesma comida sem graça todos os dias (arroz e feijão com o que?) tira ainda mais a minha força para comer.
    Não como carne porque não gosto (e acho ótimo em função da consciência sobre o comércio animal), o que diminui a variedade das minhas opções. Cresci em uma família que não levava ao prato verduras e legumes, mas apesar do não paladar para tal, eu me esforço muitas vezes em comer. Já tive (e acredito ainda ter veladamente) muita raiva da comida e da fome, principalmente por parecer que vivemos somente para comer. Você acordar e tem que preparar um big café da manhã, aí você come, então começa a preparar o almoço, aí você come, então organiza toda a louça e já prepara o lanche da tarde, então você come de novo e já tem que preparar o jantar pra comer de novo, e o dia acabar com você tomando um “leitinho” pra ir dormir!
    E aí eu digo: sou casada, tenho 2 filhos pequenos, faço pós graduação e montei uma empresa. No “mundo da comida” não cabe mais nada além de comer e cozinhar! Mas como eu faço pra levar o mundo da comida em paralelo com a casa que eu tenho que limpar e organizar, os filhos que dependem de mim pra tudo, os estudos em que se eu não me dedicar não vão valer de nada, e a empresa que também depende 200% de mim e do meu trabalho?
    Creio que a minha raiva parta daí também.
    Então eu tenho fome e raiva por estar com fome. Conclusão: não como!
    Anorexia ou bulimia? Não. Tenho muito conhecimento sobre os assuntos e sei que não é. Ano passado quiseram me enfiar na cabeça de que eu era anorexa de uma diferente da convencional, mas estudei mais ainda e não tem jeito, o principal fator da anorexia é o psicológico, onde a pessoa sempre se acha gorda, e não é o meu caso… tenho plena consciência da minha magreza e sofro com isso. Enquanto as anorexas se enxergam como baleias no espelho, eu vejo um esqueleto, e isso é horrível!
    Não me pergunte como, mas não tenho nenhum problema de saúde (ainda).
    Todo esse problema também ocorre porque conheço sobre os alimentos e não admito estragar minha saúde com besteiras. Então se for pra comer errado, também não como.

    O QUE EU FIZ:

    – clínico geral: certa vez um médico me deu uma verdadeira aula nutricional sobre como devemos nos alimentar, o que comer, o que não comer, horários para comer o que, etc etc etc. Mudei meus hábitos e me tronei mais exigente e atenciosa a partir desse momento

    – conhecimento sobre os alimentos: passei a entender os alimentos industrializados e saber porque não devo consumi-los

    – alteração de lista de mercado: mudei minhas compras, passei a comprar mais produtos integrais e eliminei quase por completo as besteiras que eu já não consumia

    – nutricionista: quando engravidei pensei que seria a hora certa de eu tomar jeito e melhorar minha alimentação. Fui a uma nutricionista (do convênio), mas não gostei. Era superficial demais e só queria saber de vender um serviço/produto dela. Eu fiz técnico em nutrição então sabia que estava só me empurrando aquilo pra ser um a mais pra ela ganhar. No meu caso era desnecessário. Conclusão: uma consulta pra nunca mais.

    – curso de culinária: fiz 2 cursos no senac acreditando que eu não gosto de comer, porque não sei cozinhar. A prendi muta coisa boa, mas, o curso que era sobre a base eu aprendi 70% sobre o preparo de carnes, e o outro curso que era sobre cozinha vegetariana, eles só ensinaram meia dúzia de receitas e não a base. Conclusão: muito mal aproveitado no meu dia a dia.

    – levei meu problema à terapia: o assunto não foi direcionado pelo profissional e as orientações foram muito rasas, nada além do que eu já sabia que devia fazer.

    O QUE EU PODERIA TER FEITO:

    – me empenhado em conhecer cada vez mais a partir das orientações do clínico geral
    – consultado outra nutricionista, pagado uma particular se fosse necessário para obter uma orientação individual e não generalizada
    – levar a risca e com dedicação as orientações prescritas pela nutricionista
    – buscado por receitas práticas de como fazer comidas saudáveis
    – contratado uma empregada para realizar os serviços de casa no meu lugar
    – verificada a minha falta de aptidão culinária, contratar alguém pra cozinhar na minha casa ou uma empresa que me entregasse refeições saudáveis prontas
    – consultado outro terapeuta para me auxiliar psicologicamente nesse processo

    em resposta a: Diário de Bordo – Andissa Begiato #1764
     Andissa Begiato Tatini 
    Participante

    Olá Patricia tudo bem?!
    Espero que goste da matéria! É claro que lá eles colocam tudo muitoooo resumido, mas gostei do que publicaram!
    Quanto a não desistir, isso mesmo!Eu não desisti, dessa vez! Pode ter certeza que isso só aconteceu por tudo o que venho aprendendo aqui. E é tanta coisa boa a cada aula que não tem como desistir, ainda mais com todas as dicas do André que antecipam esse tipo de comportamento, então quando acontece a gente consegue perceber poder optar entre agir ou não! Eu estou agindo, e espero que vc tb! Como vc já deve saber as mudanças não ocorrem do dia pra noite, mas é por isso que temos 6 meses pela frente 😉 É só persistirmos!
    Um grande beijo pra vc e estou torcendo para que dê tudo certo com vc tb!!

    em resposta a: Diário de Bordo – Andissa Begiato #1761
     Andissa Begiato Tatini 
    Participante

    Ahhhh eu ía falar da matéria e esqueci!

    A revista Isto É dessa semana traz na capa a matéria “A Explosão do Erotismo, e nela, eu, abro minha intimidade, conto a minha história e o por quê vim trabalhar nessa área montando a AvivA Sensual – empresa do ramo erótico e sensual. Hoje, pós graduanda em Terapia Sexual: na Saúde e Educação, o meu foco é garantir o direito das pessoas, principalmente mulheres, a serem felizes e bem resolvidas com a sua sexualidade e afetividade!
    O processo foi incrível! Estavam procurando pessoas que mudaram suas vidas a partir da leitura do livro 50 tons de cinza, e nisso eu me encaixava muito bem! A presidente da ABEME (associação do mercado), conhecia a minha história e me indicou! Fiz uma entrevista por telefone, então ela pediu pra me fotografar, e na semana seguinte pediram para fazer um vídeo comigo sobre o assunto!
    Foi maravilhoso, já está me trazendo muito resultado, principalmente pq eu estou ao lado de nomes renomados da área como Regina Navarro Lins, paula Aguiar, Carmita Abdo, entre outras, o que me trouxe muita credibilidade! Sem contar que eu fui reconhecida por uma revista de forte veiculação e credibilidade, e pra ajudar ainda mais, matéria de capa!
    Foi o universo conspirando ao meu favor e estou muito feliz por essa conquista!
    Pra quem quiser conferir o vídeo é só entrar no link abaixo, e a revista está nas bancas essa semana!
    http://noticias.terra.com.br/istoe/videos/a-explosao-do-erotismo,7747072.html
    Até mais!!!
    Andissa begiato

    em resposta a: Separar comentários #1703
     Andissa Begiato Tatini 
    Participante

    Sabe Rodrigo, no começo eu tb achei bem chato ficar tendo que rolar até o final pra chegar na nossa turma, mas agora eu entendi um propósito!
    Apesar de sermos da nova turma, todos que passaram por aqui foram tão iniciantes quanto nós e com os mesmos propósitos. Se nós aprendemos uns com os outros, os relatos anteriores são significativos, pq eles podem acrescentar visões ao grupo!
    Eu mesma andei lendo alguns comentários anteriores e achei bem enriquecedor!
    Tente ver por esse lado! Quem sabe vc não encontra algo que faça sentido pra vc tb em um comentário anterior…?!!

    Grande abraço

    em resposta a: Desafio: aprender a comer #1702
     Andissa Begiato Tatini 
    Participante

    Olá Renata!

    Estava vindo criar um post quando dei cara com o seu! Li seu relato e pensei “essa sou eu” com uma diferença: vc disse que poderia comer o seu prato de sempre todos os dias que não enjoaria! Já eu não… assumidamente que digo que não gosto de comer e não é brincadeira! Eu não sinto prazer algum em comer. Água na boca por algo são momentos raros. E isso dificulta a minha alimentação. Como não tenho muita ideia para variar os pratos aqui em casa (uma vez tb que carne está fora do cardápio), olhar aquela mesma “gororoba” todos os dias me deixa mais sem vontade ainda.
    Muitas vezes eu simplesmente não como! Já cheguei a ter muita raiva da comida e sempre disse que se eu pudesse me alimentar de luz, assim eu faria!
    Passei por uma depressão a pouco tempo e este problema agravou é clara. Emagreci muito, chegaram achar que eu estava com algum tipo de distúrbio como anorexia ou bulimia. Chegaram a tentar me convencer de que era, mas o principal sintoma eu não tinha: me olhava no espelho e tinha certeza que eu tava muito magra e que queria engordar… só não sabia como… Não tinha força…!
    Enfim… com certeza esse é meu maior desafio. Não sei o que fazer ou que tipo de ajuda procurar pra melhorar, pq até na terapia não funcionou.

    Boa sorte pra nós, pq a briga vai ser grande!
    Grande abraço!

Visualizando 15 posts - 1 até 15 (de 16 do total)

Academia de Pilotos Mude.nu

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?